Grupos no WhatsApp avisa sobre blitz na região

Prática é considerada crime com pena de 1 a 5 anos de prisão

Uma ação mais que comum entre motoristas tem sido motivo de preocupação por parte das autoridades policiais de São João Batista e região. Tudo por que, grupos no aplicativo WhatsApp estão sendo criados com o intuito de divulgar as localizações de blitz de trânsito realizadas no município e também no Vale do Rio Tijucas. A atitude parece inofensiva, mas atrapalha operações policiais e coloca em risco a própria sociedade.

Na tentativa de atrair mais integrantes para esse grupo, um jovem intitulado como administrador, convida pessoas em uma página no facebook para que deixem o contato e assim, após adicioná-las vão obter as informações. A denúncia foi feita pela rádio Super FM, que encaminhou à imagem do grupo ao tenente Sergio Arlan, comandante da PM em São João Batista.

Arlan repudiou a ação e ressaltou que a atitude é lamentável. Na avaliação dele, pessoas mal intencionadas podem estar participando do grupo a fim de acompanhar onde ocorrerão barreiras policiais e assim, desviar do local.

“O problema é uma pessoa dirigir embriagada, sem CNH e ser avisada da blitz para não ser punida e transitar nas vias correndo o risco de causar um acidente e tirar a vida de um inocente. Uma pessoa procurada pela justiça que está prestes a cometer um crime que poderia ser abordado e também vai desviar”, comenta.

Divulgar blitz pode ser considerado crime de atentado contra serviço de utilidade pública com pena prevista de 1 a 5 anos de prisão.
VipSocial
RádioSuperFM/Divulgação


Outros destaques: